Coisas do meu Brasil - A Dança do Carimbó

Saturday, December 13, 2008

A mais extraordinária manifestação de criatividade artística do povo paraense foi criada pelos índios Tupinambá que, segundo os historiadores, eram dotados de um senso artístico invulgar, chegando a ser considerados, nas tribos, como verdadeiros semi-deuses.
Inicialmente, segundo tudo indica, a "Dança do Carimbó" era apresentada num andamento monótono, como acontece com a grande maioria das danças indígenas. Quando os escravos africanos tomaram contato com essa manifestação artística dos Tupinambá começaram a aperfeiçoar a dança, iniciando pelo andamento que , de monótono, passou a vibrar como uma espécie de variante do batuque africano. O nome carimbó aplica-se tanto a dança como a música.


O Carimbó é uma dança que tem influência africana, indígena e portuguesa. É, inclusive, conhecido nacionalmente (por estudiosos em folclore) como a única dança brasileira, onde se percebe visivelmente a influência dos três povos que formaram a sociedade brasileira: o batuque africano; os instrumentos indígenas e coluna curvada, da forma como dança esse povo; e o estalar de dedos dos portugueses.
Por isso contagiava até mesmo os colonizadores portugueses que, pelo interesse de conseguir mão-de-obra para os mais diversos trabalhos, não somente estimulavam essas manifestações, como também, excepcionalmente, faziam questão de participar, acrescentando traços da expressão corporal característica das danças portuguesas. Não é à toa que a "Dança do Carimbó" apresenta, em certas passagens, alguns movimentos das danças folclóricas lusitanas, como os dedos castanholando na marcação certa do ritmo.

Coreografia:
A dança é apresentada em pares. Começa com duas fileiras de homens e mulheres com a frente voltada para o centro. Quando a música inicia os homens vão em direção às mulheres, diante das quais batem palmas como uma espécie de convite para a dança. Imediatamente os pares se formam, girando continuamente em torno de si mesmo, ao mesmo tempo formando um grande círculo que gira em sentido contrário ao ponteiro do relógio. Os dançarinos apresentam uma coreografia onde os pares dançam soltos. O cavalheiro comanda os passos seguido pela dama, onde dão inúmeras voltas sempre obedecendo o ritmo dos instrumentos e lembrando uma dança de roda. Sua característica fundamental e inconfundível é a dança livre, com a marcação do ritmo com a perna direita e arrastando a esquerda e vice-versa, conforme a tendência do dançarino. Os braços se elevam acima dos ombros em forma de “L” e acompanham o gingado do corpo.

As mulheres, cheias de encantos, costumam tirar graça com seus companheiros segurando a barra da saia, esperando o momento em que os seus cavalheiros estejam distraídos para atirar-lhes no rosto esta parte da indumentária feminina. O fato sempre provoca gritos e gargalhadas nos outros dançadores. O cavalheiro que é vaiado pelos seus próprios companheiros é forçado a abandonar o local da dança.

Em determinado momento da "dança do carimbó" vai para o centro um casal de dançadores para a execução da famosa dança do peru, ou "Peru de Atalaia", onde o cavalheiro é forçado a apanhar, apenas com a boca, um lenço que sua companheira estende no chão. Caso o cavalheiro não consiga executar tal proeza sua companheira atira- lhe a barra da saia no rosto e, debaixo de vaias dos demais, ele é forçado a abandonar a dança. Caso consiga é aplaudido.


Indumentária:
Todos os dançarinos apresentam-se descalços. As mulheres usam saias coloridas, muito franzidas e amplas, blusas de cor lisa, pulseiras e colares de sementes grandes. Os cabelos são ornamentados com ramos de rosas ou jasmim de Santo Antônio. Os homens apresentam-se com calças de mescla azul clara e camisas do mesmo tom, com as pontas amarradas na altura do umbigo, além de um lenço vermelho no pescoço.

Denominação:
A denominação da "Dança do Carimbó" vem do titulo dado pelos indígenas aos dois tambores de dimensões diferentes que servem para o acompanhamento básico do ritmo.
Na língua indígena "Carimbó" - Curi (Pau) e Mbó ( Oco ou furado), significa pau que produz som. Em alguns lugares do interior do Pará continua o título original de "Dança do Curimbó".
Mais recentemente , entretanto, a dança ficou nacionalmente conhecida como "Dança do Carimbó", sem qualquer possibilidade de transformação.

Instrumentos típicos:
O acompanhamento da dança tem, obrigatoriamente, dois "curimbós" (tambores) com dimensões diferentes para se conseguir contraste sonoro, com os tocadores sentados sobre os troncos, utilizando as mãos à guisa de baquetas, com os quais executam o ritmo adequado.
Outro tocador, com dois paus, executa outros instrumentos obrigatórios, como o ganzá, o reco-reco, o banjo, a flauta, os maracás, afochê e os pandeiros. Esses instrumentos compõem o conjunto musical característico, sem a utilização de instrumentos eletrônicos.

Carimbó é dança, é música, é cultura.
É um deixar-se livre por natureza e viver a vida de modo simples, demonstrando a felicidade nos movimentos.
É uma das coisas que mais amo no Pará. Dançar carimbó faz parte da minha história.
E você, quer aprender? ;)
Beijo Imenso
Ju



Essa postagem faz parte da Blogagem Coletiva Coisas do Brasil 2 promovida pelo blog Leio o Mundo Assim.


18 comments:

Juca December 14, 2008 at 12:35 AM  

Sabe que seu post me fez voltar no tempo? Gostava tanto de cantarolar as músicas do Pinduca e da Eliana Pittman lá pelos idos de... Deixa pra lá! Faz tantoooo tempo! rsrs Mas lembro que à época toda a escola cantarolava as músicas deles nos ônibus, quando haviam excursões programadas a parques ou eventos! Que saudade!

"Eu fui no mato morena, fui tirar um cipó. Muito longe ouvi um batuque, parecia carimbó. Eu vou de lado, de lado, fiquei só, dançando no mato o carimbó." rsrs Quer dizer, mais ou menos isso a letra! rsrs

Amei o post e sua escolha! Ficou perfeito! :-)

Beijos, Pietra!

Juca December 14, 2008 at 12:41 AM  

Ah, esqueci de um detalhe: isso tudo aqui em Sampa, tá! Lá pelos idos de 1970! Infelizmente, apesar de ter parentes distantes paraenses, nunca estive por aí!

Camila December 14, 2008 at 1:28 AM  

E viva o carimbó!!!
Eu gosto muito desse ritmo, sabia? Aqui não é tradição nem costume escutá-lo ou dançá-lo, mas quando criança meu pai tinha LP (sim, um LP... Heheheh...) e eu daçava mesmo sem ter noção de como se dança carimbó realmente. Mas eu era criança, então estou perdoada, né? E me deu uma saudade...

Ótima sua participação, Ju!!!

Beijinhos!!!

Su December 14, 2008 at 9:48 AM  

Eu pensei que vc fosse falar do açai!!! o_O
kkkkkk...

Ju, o Pará é muito rico, uma cultura popular maravilhosa! E carimbó é um ritmo maravilhoso, lá em Vit. da Conquista uma cidade aqui da Bahia sempre tooca. Eu lmebro que o meu tio sempre me levava, eu adooorava!!!
Bela escolha, minha flor!!
Viva o Carimbó!!!!
Beijoooos

Ju Pietra December 14, 2008 at 12:38 PM  

O.o
Cê sabe que eu não gosto de açai Gurijubinha!!!!!
:P

Andréa Motta December 14, 2008 at 2:04 PM  

Ju, demorei, mas cheguei! Menina, você não pode imaginar o sorrisão que abri ao ver seu texto. Lembrei das festas da escola, pois as professoras sempre nos faziam danças ritmos de outros estados. Na quarta série ( eu tinha, então, 9 anos), dançamos o carimbó.

Muito obrigada por participar!

Vanessa December 14, 2008 at 5:46 PM  

Oi, tb estou na coletiva e vim conferir sua participação. Quem sabe um dia eu me arrisco no Carimbó!

abraço

Deka Silva December 14, 2008 at 10:39 PM  

Que delícia essa postagem.
Talvez eu nunca aprenda ;0 heheh
Mas é muito lindo...

Sahmany December 15, 2008 at 7:46 AM  

Deve ser lindo de se ver, né não?
Parabéns pelo post Ju!
Beijos e ótima semana.

Andréa Motta December 15, 2008 at 11:50 AM  

A coletiva foi um sucesso. Passe no Leio para ler o post de encerramento!

Urbano Leonel Sant' Anna December 15, 2008 at 1:46 PM  

Oi, Simpatia!

Desculpa a demora em aparecer! (Força maior...)

Também senti uma grande nostalgia dos tempos em que o carimbó era tocado e cantado por todo este nosso Brasil!

Esta blogagem coletiva sobre o Brasil está excelente! Há muita coisa a aprender sobre a nossa terra e esta é uma ótima oportunidade!

Beijão e feliz aniversário atrasado!

Sensata Paranóia

caurosa December 15, 2008 at 5:24 PM  

Olá minha cara Lú Pietra, que bela a sua postagem coletiva. Muito aprendi sobre a famosa "Dança do Carimbó", o nosso folclore é muito fecundo e de riqueza maravilhosa. Adorei. E belas as imagens fotográficas.
Muita paz, harmonia e sucesso.

Forte abraço

caurosa.wordpress.com

DILERMArtins December 15, 2008 at 6:21 PM  

Mas bah!
Também estou na coletiva...De blog em blog, viajando pelo país, cheguei aqui, adorei sua postagem,
Parabés!

Du December 23, 2008 at 3:20 PM  

Jujuzinha querida!
Procuremos amar mais, fazer mais, acreditar mais, sonhar mais, viver mais; reclamar menos, lamentar menos, julgar menos, criticar menos...

Que isso tudo sirva, não apenas para o dia de Natal, mas para todos os dias do ano.
Quando, mais do que uma lembrança, a “Boa Nova” deve ser uma vivência cotidiana.

Um fraterno desejar: felicidade, paz, prosperidade e amor.

Grande beijo pra você, feliz Natal! \o/

Anderson December 23, 2008 at 11:46 PM  

Oi Srta.
Achei muito interessante seu blog. [Parabéns]
Beijos.


Ps. Se possivel, não deixe de acessar meu blog para compreender um pouco do meu Fetiche. Desde já agradeço.

Du December 31, 2008 at 8:33 AM  

Vamos agradecer pela vida e tudo que temos na vida. Tudo Mesmo! Até mesmo as dificuldades e adversidades que se apresentam, mais que nada mais são do que as grandes oportunidades de testarmos o quanto somos capazes.

Ninguém pode avançar em direção ao novo se permanece obstruído, contaminado pelo velho e não se dá chance. Veja a mudança como um degrau a mais na escada que você sobe na vida.

O Tempo não espera por ninguém.

Faça você mesmo o seu tempo, mude enquanto é tempo, pois se você não tomar a decisão alguém em qualquer tempo, ou algum fato ou circunstância poderão manobrar o seu processo e efetuar mudanças e transformações na sua vida.

A responsabilidade perante a vida é individual e intransferível. Você pode e é capaz! Teste-se! Tenha coragem! Escreva você mesmo no livro da sua vida, faça dela uma obra de arte.

feliz ano novo, beijão!!!

DrummerChick January 2, 2009 at 2:57 PM  

Feliz 2009 com muito tucupi! (aaaah, tucupi...)

Talita Corrêa January 2, 2009 at 10:02 PM  

"Brasil. meu Brasil brasileiroooo... "

É assim o Brasil... lindo e cheio de cor..

Feliz ano novo e apareçaaaaaaaaaaa!

Bjoooos minha linda.

Blogagens Coletivas

  © Blogger template Nightingale by Ourblogtemplates.com 2008. Modificado por Ju Pietra e Suzanna Martins

Back to TOP